terça-feira, 1 de outubro de 2013

Dicas Diversas - 10 Dicas Para Ser Um Bom Fotógrafo

Primeiramente, gostaria de deixar claro que eu não sou nenhuma grande autoridade no assunto para poder servir como referência de fotógrafo exemplar. Estas dicas que vou dar, nada mais são do que práticas que eu executei e ainda venho executando ao decorrer do tempo, as quais EU acredito serem essenciais para a formação de um bom fotógrafo, tanto como profissional quanto como pessoa. Vamos lá!


1 - Esforce-se e nunca desista


Imagem cortesia de Stuart Miles / FreeDigitalPhotos.net

Na minha humilde concepção, não existem pessoas mais inteligentes ou mais ignorantes: existem pessoas mais esforçadas ou mais preguiçosas. Aquelas que nunca desistem, não importa o que aconteça, e aquelas que no primeiro obstáculo já pulam fora.

Até onde eu sei, todos os seres humanos adultos têm o cérebro praticamente do mesmo tamanho, com a mesma quantidade aproximada de neurônios e sinapses. O que eu quero dizer é que, salvas as exceções de pessoas com algum tipo de deficiência cognitiva, TODOS NÓS temos a mesma capacidade de aprender!

Por exemplo, se Fulano é mais bem-sucedido na vida do que Ciclano, não é por acaso. Não é porque Fulano é favorecido com uma inteligência maior que a de Ciclano, e por isso conseguiu se dar melhor. Se as coisas são assim, é porque Fulano se esforçou mais do que Ciclano para alcançar os seus objetivos.

Na fotografia é a mesma coisa. Não é porque Fulano conseguiu entender perfeitamente o que é o Fator de Corte e Ciclano não conseguiu, que Fulano é mais inteligente, e sim porque ele é mais esforçado.

Fulano pode ter tentando ler 15 vezes sobre o assunto, sem nunca desistir, e por isso finalmente conseguiu entender. Já Ciclano pode ter lido apenas 3 vezes, e desmotivado, se achando um ignorante por não ter entendido mesmo lendo "tantas vezes", acabou desistindo de tentar novamente.

Não adianta se lamentar e tentar culpar o destino, e nem ser preconceituoso consigo mesmo em relação a sua capacidade. Jamais se subestime! Combata a preguiça de ler, de prestar atenção e de assimilar conhecimentos. Esforce-se!

E principalmente, NUNCA DESISTA de alcançar os seus objetivos, não importa o quão difícil pareça! Tudo que parece difícil, geralmente é muito mais fácil do que a gente imagina. Tire o "zoom" das suas dificuldades e veja o quão pequenas elas realmente são!


2 - Estude muito


Imagem cortesia de Master Isolated Images / FreeDigitalPhotos.net

Esta dica anda de mãos dadas com a primeira. Sem seguir a primeira, você não vai poder seguir a segunda efetivamente. Um fotógrafo sem conhecimento em fotografia, não é fotógrafo: é um apertador de botão.

Estudar tudo que for possível relacionado a fotografia é essencial para qualquer um que queira se tornar um bom fotógrafo. É trabalhoso estudar, ler longos textos, livros e assistir a longos vídeos? É. Mas vale a pena? VALE! E como vale.

O conhecimento é um dos bens mais preciosos que temos nessa vida. É uma das poucas coisas que absolutamente ninguém pode tirar de nós! Em diversas circunstâncias da vida, podemos perder todo o nosso dinheiro, toda a nossa saúde, toda a nossa esperança, praticamente tudo mesmo: mas o nosso conhecimento sempre fica, independente do que aconteça.

Por isso, estude MUITO! Não tenha medo de dedicar tempo e dinheiro em livros, cursos e outras fontes de conhecimento, pois isso não é um gasto: é um investimento! Ser rico em conhecimento nos traz uma satisfação muito grande, além de ser extremamente útil pra nós, tanto para uso profissional quanto como para uso pessoal.




3 - Pratique e erre até acertar


Imagem cortesia de Stockimages / FreeDigitalPhotos.net

Com certeza você já conhece aquele velho ditado: "a prática leva à perfeição". Pois então, aplique-o! Fez uma foto e ela não ficou boa? Pratique mais e tente de novo! Fez 100 fotos e nenhuma delas ficou boa? Pratique mais e tente de novo! Fez 5.000 fotos e ainda assim nenhuma delas ficou boa? PRATIQUE MAIS E TENTE DE NOVO!

Já dizia o grande fotógrafo francês Henri Cartier-Bresson: "as suas primeiras 10 mil fotos serão as piores". Porém, vale lembrar que ele viveu em uma época onde ainda não existia a fotografia digital (1908-2004), a qual nos faz chegar a este número em pouco tempo.

Isso quer dizer que, nos tempos atuais, podemos facilmente converter estas "primeiras 10 mil fotos" para "primeiras 100 mil fotos", ou talvez ainda mais. E aí, chegou a dar um friozinho na barriga? 100 mil fotos? Mas isso vai levar tempo à beça!

De fato, não vou mentir, vai mesmo. Talvez anos. Mas volta aqui a extrema importância da dica número 1: NUNCA DESISTA! Ninguém chega a lugar algum ao se deixar levar por obstáculos aparentemente impossíveis.

Seja otimista. Não pense: "100 mil fotos, é trabalho pra eternidade!". Ao invés disso, pense: "100 mil fotos, vou ter tempo de sobra para melhorar cada vez mais as minhas habilidades e o meu conhecimento nesse período!".


4 - Reaprenda o que você já sabe


Imagem cortesia de Michal Marcol / FreeDigitalPhotos.net

Um erro bastante frequente que eu vejo muita gente cometer, é pensar desta maneira: "um texto sobre assunto X? Ah, mas eu já sei tudo sobre isso. Nem vou perder meu tempo lendo o que eu já sei. Vou logo pular pros assuntos mais difíceis que eu ainda não sei". Errado.

Repense o seu conceito de "tudo". Nunca se sabe absolutamente TUDO sobre determinado assunto, não importa o quão simples ou pequeno ele pareça. Uma prática que eu adoto até hoje é esta: reaprender o que eu aparentemente já sei.

Há muito tempo eu já sei o que é Abertura do Diafragma, por exemplo. No entanto, cada vez que eu me deparo com um texto sobre isso, eu paro pra ler. Eu já sei bastante sobre o assunto? Já. Eu sei TUDO sobre o assunto? Não, e provavelmente nem nunca vou saber.

Ao ler o que eu já sei, além de a prática ajudar a reafixar o conhecimento obtido anteriormente, geralmente eu também acabo aprendendo algum detalhe novo, por mínimo que seja.

Por mais que você se ache O MESTRE de determinado assunto, sempre tem um detalhezinho aqui e ali que ainda não se conhece. Não feche as portas para o conhecimento, mesmo que ele aparente ser algo repetido e banal. Abra a sua mente, você só tem a ganhar com isso!


5 - Lembre-se do seu passado e valorize-o


Imagem cortesia de Stockimages / FreeDigitalPhotos.net

Já se pegou xingando uma antiga foto que você fez? "Que droga de foto eu fiz! Como eu fotografava mal!" Não faça isso. Não é uma droga, é apenas uma parte necessária do ciclo de aprendizagem.

Quanto mais aprimoramos o nosso conhecimento e as nossas habilidades artísticas, a autocrítica também tende a aumentar equivalentemente. Mas não é por isso que você vai começar a desvalorizar suas fotos mais antigas e sair deletando-as, como se agora não valessem mais nada.

Mesmo que agora elas pareçam horríveis para você, isso não quer dizer que realmente sejam. Cada uma pertence ao seu próprio tempo, condizendo com as habilidades que você tinha no momento de sua produção.

Ao invés de desmerecê-las, valorize-as. Afinal, sem tê-las feito um dia, você jamais estaria fotografando como está agora, não é? Por mais ruins que pareçam, guarde sempre as suas fotos mais antigas, pois elas são uma ótima referência da sua evolução pessoal ao decorrer do tempo. Cada vez que sentir uma desmotivação, reveja o seu histórico de fotos e perceba o quanto você já melhorou!

O mesmo deve ser aplicado com os seus colegas. Não é porque agora você fotografa melhor do que ele ou ela, que é preciso agir como se as fotos dos outros "abaixo do seu nível" não valessem mais nada.

Lembre-se que você também já passou por esta fase um dia. Não seja mais um metido a sabichão que semeia a arrogância, pois o mundo já está cheio de pessoas assim. Ao invés disso, seja humilde e amigável, como você gostaria que fossem com você!

Se quer fazer uma crítica, que seja construtiva, para ajudar o seu colega a melhorar, e não destrutiva, simplesmente para desvalorizar e desmerecer o trabalho dele.


6 - Tenha ética e respeito com o trabalho dos outros


Imagem cortesia de Witthaya Phonsawat / FreeDigitalPhotos.net

Principalmente na internet, já presenciei vários casos de supostos fotógrafos com ótimas fotos em seu portfólio, as quais não eram realmente deles. Não existe nada mais desrespeitoso na comunidade fotográfica do que roubar as obras dos outros. Se você já pensou ou pensa em fazer isso um dia, já te alerto: NÃO FAÇA!

Só porque as fotografias na internet são propagadas como arquivos virtuais facilmente duplicáveis, isso não dá a ninguém o direito de copiá-las e chamar de suas. Não há nenhum motivo para sentir orgulho da fama e da glória obtidas com trabalhos que não são seus.

Na prática, muito pouca gente vai pra prisão ou paga alguma multa por causa disso, pois infelizmente vivemos em um país que ainda engatinha na justiça com crimes virtuais. Porém, usurpar fotos ou qualquer outro tipo de obra (tangível ou não) que possua direitos autorais, não deixa de ser considerado um crime.

De qualquer forma, mesmo que não fosse um crime, acho que todos já deveriam ter por consciência própria que esta atitude é totalmente antiética e desrespeitosa com os verdadeiros autores profissionais da área. Tenha em mente que este tipo de falcatrua pode, inclusive, vir a afetar você diretamente um dia!

Imagine você, próximo do dia do seu casamento. Você navega em vários portfólios virtuais de diferentes fotógrafos locais, e eis que se depara com um magnífico, cheio de obras de arte, com as melhores fotos de casamentos que você já viu na vida. Você imediatamente o contrata para fotografar seu casamento, pois quer fotos com a mesma qualidade das que foram vistas no portfólio.

Chega o dia do seu casamento. O fotógrafo faz as fotos normalmente, e no fim promete o seu álbum para a próxima semana. Você vai pegar o seu álbum no dia combinado, e ao vê-las, surpresa: as fotos estão PÉSSIMAS!

Onde estão as magníficas fotos, com a mesma qualidade das que foram vistas no portfólio virtual do fotógrafo? Novamente, para a sua surpresa, você acaba descobrindo que aquelas fotos do portfólio não são dele, mas de outro grande fotógrafo de casamentos de renome internacional.

Qual seria o seu sentimento ao descobrir isso? Imagine esperar fotos maravilhosas e receber fotos péssimas de um dos dias mais importantes da sua vida? Não seria nada agradável, certo? Pode até ser que depois seja possível processar o fotógrafo e ganhar uma boa indenização, mas nada substitui a falta de boas fotos daquele momento tão especial e único.

Portanto, tenha em mente que nesse caso, a "brincadeira inocente" de roubar fotos dos outros para si pode trazer sérias consequências, tanto para você, que pode ser dar mal, quanto para quem espera que seja feito um trabalho que na verdade você não faz.

Acredite: é preferível não parecer tão bom mas pelo menos ser honesto e fiel ao seu trabalho, do que parecer um dos melhores do mundo e ser na verdade um grande charlatão. Ninguém vai muito longe fazendo as coisas do jeito errado. Uma hora ou outra se tropeça, e a queda pode ser grande, MUITO GRANDE.

Quando é o caso de querer usar as fotos dos outros em algo não comercial, o ideal é pedir autorização diretamente ao seu autor, deixando bem claro ao mesmo qual será o propósito da sua utilização. Ou ainda, caso não seja possível contatar o autor, recomenda-se pelo menos deixar uma clara referência a ele próxima à foto.

Por exemplo, coloca-se a foto no lugar desejado e logo abaixo escrito algo como: "Créditos: Fulano da Silva / www.fulanodasilvafotografia.com.br". Fazendo isso, você estará demonstrando que tem ética e respeita o trabalho do autor original.


7 - Tenha um Português aceitável



Este é um ponto bastante delicado. Muitas pessoas acham super normal escrever usando um Português "do seu jeito", e geralmente ficam ofendidas quando são corrigidas por alguém, principalmente na internet.

Até aí tudo bem. Escrever da maneira que quiser é uma escolha pessoal. Só que, principalmente no meio profissional, a coisa muda de figura. Não é preciso ser um Professor Pasquale, mas também não dá para simplesmente colocar o Português em último plano.

Imagine, por exemplo, você enviando um e-mail para dois fotógrafos diferentes, solicitando o valor e mais informações sobre um book padrão em seu estúdio. O primeiro responde da seguinte maneira:

----------

IAE BLZ? INTAUM AS FOTOS NO BOOK FICA TRESENTOS REAIS E EU TIRO CINCUENTA FOTOS TODAS TRATADAS NO FOTOSHOPING AÍ TU PODE TRASER UMAS ROPA E TAL PRAS FOTOS FICA LEGAU E DIFERENTE, TENHO ORÁRIO PRAS 2 E 4 DA TARDE NO SABADO

AGUARDO CONFIRMASSAUM FLW ABS

ESTUDIO DE FOTOGRAFIA PROFICIONAL PHOTOLUZ

----------

Já o segundo, responde da seguinte maneira:

----------

Boa tarde, Fulano.

Nosso book padrão inclui 12 fotos no tamanho 15x21cm, sendo todas tratadas no Photoshop. O valor é de R$ 580, podendo parcelar em até 3x sem juros. No sábado, temos disponibilidade para às 15h e às 17h.

Opcionalmente, você pode trazer também até três mudas de roupa para a sessão de fotos.

Aguardamos pela confirmação do seu horário.

Atenciosamente,

Ciclano da Silva
Estúdio Olhar Fotográfico

----------

Acho que eu não preciso ser nenhum adivinho para ter certeza de qual você escolheria, caso decidisse fazer um book, certo? Pode até ser que o primeiro fotógrafo seja melhor no seu ramo do que o segundo (provavelmente não seria o caso), mas será que você sequer o procuraria novamente para conferir, depois de receber uma resposta escrita de maneira tão desleixada?

Mesmo que inconscientemente, nosso primeiro pensamento ao analisar esta situação, provavelmente seria o seguinte: "se ele não se importa nem em escrever direito uma resposta no próprio idioma nativo, por que eu deveria pensar que ele se importaria em fazer um bom trabalho como fotógrafo?".

Por mais que talvez isso não seja verdade, a primeira impressão que temos é de que se trata de um péssimo profissional, desleixado e que não se importa em fazer as coisas direito. No meio profissional, querendo ou não, a primeira impressão que deixamos é extremamente importante.

Por exemplo: você entra em uma loja qualquer para pedir mais informações sobre um produto interessante que viu na vitrine. O atendente aparenta estar mal-humorado, de cara amarrada, e responde às suas perguntas sobre o produto sem a menor vontade. Você vai embora de lá, obviamente sem comprar nada.

Supondo que você nunca tenha entrado na tal loja e nem nunca tenha ouvido falar dela antes. Depois desse péssimo tratamento do atendente mal-humorado, você provavelmente nunca mais voltaria lá, certo? Provavelmente. Mas talvez as coisas não sejam sempre assim.

Talvez o atendente só estava tendo um dia ruim, sendo que na verdade ele costuma ser sempre bem simpático e prestativo. Mas quem sabe? A primeira impressão ruim já ficou enraizada, e isto fez com que você não sinta mais vontade de voltar lá. Ou seja, a impressão que ficou foi:
"Loja X = atendente inútil e mal-humorado. Portanto, não voltarei mais lá!".

Da mesma maneira, falando do Português, se você passa aos outros a primeira impressão de que nem escrever direito você sabe (o que é uma premissa básica de todo brasileiro alfabetizado), é bastante provável que eles não confiarão igualmente no seu talento profissional como fotógrafo.

Por mais que uma coisa não aparente ter ligação direta com a outra, acredite, para formar uma primeira impressão elas têm.


8 - Estude outras artes visuais


Imagem cortesia de Winnond / FreeDigitalPhotos.net

Muitas das artes visuais incorporam alguns princípios artísticos iguais ou similares aos utilizados na fotografia. Em outras palavras, se você tem conhecimentos em outras artes visuais, eles provavelmente também poderão ser utilizados para melhorar artisticamente as suas fotografias.

Além da fotografia, podemos citar como exemplos de artes visuais:

- Arte Digital
- Artes Plásticas
- Desenho
- Design
- Identidade Visual
- Pintura
- Vídeo

Entre outras. Escolha uma para estudar e mãos à obra!


9 - Estude óptica e física


Imagem cortesia de Arztsamui / FreeDigitalPhotos.net

Assim como a fotografia incorpora alguns princípios artísticos de outras artes visuais, ela igualmente incorpora também vários princípios técnicos da óptica e da física. Velocidade, direção e temperatura da luz, fótons, ponto nodal e plano focal, reflexão, refração e difração, etc...

Estes são só alguns dos vários princípios provenientes da óptica e da física que nos ajudam a compreender melhor como funciona a parte técnica e mais matemática da fotografia.

Para quem tiver interesse, indico a leitura deste ótimo e-book gratuito de óptica básica.


10 - Aprenda Inglês


Imagem cortesia de Stuart Miles / FreeDigitalPhotos.net

Se o seu conhecimento não é suficiente para conseguir pelo menos entender textos e/ou pessoas falando em Inglês, te recomendo aprender mais deste idioma. É verdade que hoje em dia existem centenas de blogs, artigos, livros e vídeos em Português na internet que falam sobre fotografia.

Mas mesmo com todo esse conteúdo existente, se compararmos ao que já existe sobre o assunto em Inglês, veremos que a proporção em Português é absurdamente menor.

Boa parte do que eu sei hoje em dia sobre fotografia, aprendi lendo textos e vendo vídeos em Inglês na internet. Até porque, até não muitos anos atrás, bons conteúdos em Português sobre fotografia eram ainda mais escassos.

Na internet existem muitas informações em Português sobre aparelhos eletrônicos mais populares, como por exemplo celulares. Se eu quero saber, por exemplo, todas as especificações técnicas mais minuciosas de um iPhone 5s, encontro-as facilmente em milhares de blogs em Português que falam sobre o assunto, mesmo sendo um lançamento um tanto recente.

Já se eu quero saber a mesma quantidade de informações técnicas em Português sobre uma câmera igualmente recente, como por exemplo a Nikon 1 AW1, é bem mais difícil de encontrar (muitas vezes, impossível). O que eu faço, então? Procuro em Inglês e consigo achar facilmente!

Sabendo Inglês, você consegue se manter sempre por dentro dos lançamentos e das novidades mais atuais, uma vez que dificilmente qualquer tipo de informação de interesse internacional chega primeiro no nosso idioma. Além disso, você tem acesso a uma gama muito maior de conteúdos ao ser capaz de fazer buscas neste amplo idioma.

O bom é que o Inglês não é somente útil para saber mais sobre fotografia, mas também sobre muitas outras coisas, pois é estimado que quase 50% de todo o conteúdo informativo da internet está neste idioma.


Até a próxima!