sábado, 16 de julho de 2011

Módulo Básico - Aula 2 - A Exposição

Sejam bem vindos a segunda aula do módulo básico! Como postado anteriormente, seguiremos dando continuidade a algumas denominações comumente utilizadas na fotografia digital.


A Exposição

Simplificando, a exposição é a quantidade de luz que usamos para formar uma foto. Tudo o que vemos reflete luz. As câmeras fotográficas funcionam de maneira similar ao olho humano. Absorvemos e assimilamos as cores e a luminosidade presente em determinado ambiente, por isso conseguimos distinguir diferentes formas, cores e tamanhos. Foi partindo deste princípio que a fotografia foi inventada. Tons mais escuros como o preto, absorvem mais luz, enquanto que os tons mais claros, como o branco, refletem mais luz.

Experimente colocar uma fonte de luz (um abajur, uma lanterna, qualquer fonte de luz) em frente a uma cartolina preta, por exemplo, e depois em frente a uma cartolina branca. Você pode observar que a cartolina branca vai refletir muito mais luz. Este princípio de reflexão de luz é o mesmo usado nos rebatedores, que estudaremos mais tarde.



Imagine a luz se dividindo em vários pedaços minúsculos. Cada pedaço de luz carrega um pouco de informação, sobre o quanto ela deve ser clara ou escura e qual cor ela deve ter. No caso de nós humanos, absorvemos esta informação pelos olhos e interpretamos pelo cérebro, e no caso das câmeras, tente imaginar o olho sendo a lente e o cérebro sendo o sensor (ou filme, no caso das câmeras de filme). Mais tarde entenderemos melhor o que é e para que serve o sensor, por hora, tente imaginá-lo apenas como o cérebro da câmera.

Para que possamos criar uma fotografia, devemos deixar entrar no sensor uma certa quantidade de luz por um determinado tempo. Para obter um bom resultado, essa luz deve ser na medida certa, nem de mais, nem de menos. Se a foto ficar clara demais, ela estará o que chamamos de superexposta, e se ficar escura demais, estará o que chamamos de subexposta. Certas vezes podemos utilizar estes fatores a nosso favor para criar efeitos criativos de iluminação em determinados assuntos, mas no geral, principalmente para quem está iniciando, o principal objetivo é conseguir fotos com a quantidade de luz bem balanceada.

A exposição é baseada em três fatores: abertura do diafragma, velocidade do obturador e sensibilidade ISO. Calma! Não se preocupe se você pensou "hã?". Vamos aprender sobre todos estes fatores nas próximas aulas. Você deve estar se perguntando "mas e como eu vou saber se a foto está bem exposta, eu vou ter sempre que tirar a foto pra depois verificar?". A resposta é não! Todas as câmeras digitais atuais possuem um mecanismo interno chamado Fotômetro. Ele mede precisamente a luz necessária em tempo real para criar a exposição correta.

As câmeras compactas simples, que na maioria das vezes tem todos, ou quase todos os seus ajustes automáticos, normalmente não exibem na tela a régua de medição do fotômetro, provavelmente pra não acrescentar detalhes que só confudem a pessoa, que simplesmente quer tirar uma foto, sem se preocupar com detalhes que só vão dificultar. Ao contrário disso, as câmeras mais avançadas que permitem ajustes manuais, exibem esta régua. Varia de câmera para câmera, mas no geral, é mais ou menos assim:


O fotômetro da câmera é muito preciso, porém não é perfeito, por isso, ele não vai acertar a exposição correta em 100% das vezes. Com a experiência, podemos usar ele como base para criar uma exposição a nosso gosto, com mais ou menos luz, dependendo da situação. Este retângulo abaixo desta seta que parece um escudo nos mostra como está a exposição. Se ele estiver no meio, significa que a exposição está correta, ou seja, que a quantidade de luz necessária para criar uma foto está perfeita. Se ele estiver mais para a esquerda, significa que a foto vai ficar subexposta, ou seja, escura demais, e se estiver mais para a direita, significa que vai ficar superexposta, ou seja, clara demais.

Confira também o vídeo ilustrativo abaixo.



É verdade que mesmo após tirada, é possível dar um tratamento na foto em um programa de edição, porém, sempre tente fazer a foto na exposição correta, pois apesar destes programas serem eficientes, nenhum faz milagre. A foto nunca vai ficar tão natural quanto seria se já tivesse conseguido a exposição correta na própria câmera. Subexpondo ou superexpondo a sua foto, ela vai perder informações de cor, o que torna difícil ser recuperado por um programa de edição sem grandes perdas na qualidade.

A maioria das câmeras dispõem da configuração do modo de medição da exposição (também chamados de Metering Mode), que podem facilitar muito a sua vida. Descubra se a sua tem esta função. Se necessário, leia o manual da sua câmera e procure saber como configurar. Existem vários tipos de medição, como o de tela inteira, que considera a luz vinda de toda a cena para determinar a exposição, a de medição central, que considera a parte do meio da cena, entre outros. Você com certeza já deve ter tirado foto de uma pessoa com o sol ao fundo, certo? Deixa eu adivinhar: o fundo ficou claro e visível, e a pessoa, que era o assunto importante na foto, ficou toda escura, quase como se fosse uma sombra, acertei? Pois é, isto aconteceu pelo motivo mencionado acima.

Provavelmente o método de medição que a sua câmera usou no momento foi o de tela inteira, que leva em consideração principalmente as partes mais claras da cena, neste caso, o sol. Se nesta hora a medição central tivesse sido usada, o resultado seria diferente. A câmera levaria em consideração a luz refletida pela pessoa no meio da foto e teria feito a exposição correta baseada nela. Existem outras maneiras de evitar situações como esta, mas isto fica para mais adiante.

Por hoje é só, pessoal. Espero que tenham gostado da aula e que tenham entendido. Não deixem de clicar em um dos botões abaixo de cada post em "Você entendeu?". Cliquem em "Entendi Tudo", "Entendi Quase Tudo" ou "Não Entendi", para que eu possa avaliar se minhas explicações estão sendo suficientemente claras. Nas próximas aulas vamos aprender sobre os 3 fatores que se baseiam a exposição mencionados anteriormente, a abertura do diafragma, a velocidade do obturador e a sensibilidade ISO.

Até a próxima aula!

Aula Anterior   Próxima Aula