segunda-feira, 9 de abril de 2012

Módulo Intermediário - Aula 11 - Exif

Você já se deparou com uma foto incrível, na qual adoraria saber que configurações foram usadas para conseguir tal resultado? Tenho certeza que sim. Muitas vezes nem sabemos quem é o fotógrafo e não temos como entrar em contato com ele para perguntar as configurações, ou mesmo se conseguimos, talvez ele não queira dar esta informação. O que fazer entâo? Ficar sem a resposta? Talvez sim, mas se tivermos sorte, poderemos conseguir tais informações através do Exif.


Exif, do Inglês, é a abreviação de Exchangeable Image File Format, ou traduzindo, Formato de Arquivo de Imagem Permutável. É uma especificação atribuída pelas câmeras digitais que grava os dados técnicos utilizados no momento da fotografia junto com o arquivo de imagem gerado.

É como se fosse uma etiqueta incorporada contendo as informações de como a foto foi feita, como encontramos nas roupas, por exemplo. Nestas etiquetas existem informações como "80% algodão e 20% poliéster". Da mesma maneira, em um arquivo de imagem, as informações também estão contidas nesta "etiqueta" chamada Exif.

Todas as fotos tiradas com câmeras digitais tem originalmente um Exif. Se uma foto não contém estas informações, é porque ela passou pela edição em um programa que não mantém as informações do Exif no arquivo gerado após a edição. Fotos que não contém os dados do Exif podem ter tido os seus dados removidos sem querer ou propositalmente.



Alguns programas de edição muito simples não mantém estes dados. Muitas vezes, pessoas desavisadas sequer tomam conhecimento da existência do Exif, removendo-os sem querer após a edição das fotos nestes programas simples.

Ao contrário, existem pessoas, normalmente fotógrafos profissionais, que optam por remover estes dados propositalmente em programas de edição mais sofisticados, a fim de não revelar os truques de produção da foto. Assim como um grande mágico não revela os seus segredos, um grande fotógrafo também não revela os seus métodos de fotografar.

Por um lado, não revelar estes dados pode parecer esconder muitos segredos valiosos, mas se olharmos por outro ângulo, não faz tanta diferença assim. Um fotógrafo profissional, olhando a foto de outro, provavelmente vai deduzir por si só como a foto foi feita só de olhar, sem nenhuma informação do Exif, baseando-se diretamente em sua vasta experiência.

Ao contrário, um fotógrafo amador, conhecendo ou não os dados do Exif, não vai fazer muita diferença, já que o mesmo provavelmente sequer possui os equipamentos adequados para reproduzir tal foto. Sabendo disso, do meu ponto de vista, não faz muito sentido esconder propositalmente os dados do Exif.

Os maiores beneficiados com os dados do Exif são os fotógrafos intermediários, aqueles que ainda não alcançaram o nível profissional, a ponto de descobrir como a foto foi feita só de olhar para ela, mas já não são mais amadores. Até podemos usar os dados do Exif para reproduzir uma foto igualzinha a outra que vimos e achamos interessante, mas além de ser uma grande falta de originalidade, também não aprendemos nada com isso.

Como a fotografia é uma enorme escada de aprendizado, a idéia da utilização destes dados do Exif é justamente esta, não a cópia total de outra foto, mas sim coletar um pouco de conhecimento a cada informação adquirida através destes dados.

Por exemplo, você está lá navegando normalmente na internet quando se depara com uma foto que gostou. Você achou aquela foto muito interessante, principalmente por causa da profundidade de campo extremamente rasa que ela tem em volta do assunto principal. Suponhamos que a foto seja esta abaixo.


Você admira a foto e se pergunta "como será que ela foi feita?". É aí que entram os dados do Exif. Existem várias maneiras de se visualizar os dados do Exif, mas a mais simples é salvar a foto em questão no computador e checar as propriedades do arquivo.

Para fazer isto no Windows, clique com o botão direito em cima do arquivo da foto, vá em "Propriedades" e clique na aba "Detalhes". Não tenho muita intimidade com outros sistemas operacionais, mas creio que em todos eles consegue se chegar a estes mesmos dados de maneira igual ou similar.


Nesta janela estarão gravadas todas as informações que a câmera gerou no momento da foto. Clicando em "Remover Propriedades e Informações Pessoais", você pode remover facilmente, todas ou somente algumas informações específicas do arquivo. Caso queira removê-las, não esqueça de fazer uma cópia do arquivo antes, para o caso de precisar delas posteriormente.

As informações são divididas em categorias, sendo elas: Descrição, Origem, Imagem, Câmera, Foto Avançada e Arquivo. A mais importante é a categoria Câmera, onde estão contidas as principais informações sobre a foto.


No nosso exemplo, ao observarmos as informações desta categoria, podemos descobrir que a foto em questão foi feita com uma Nikon D7000, utilizando abertura f/1.4, velocidade 1/250s e ISO 100. Nenhuma compensação de exposição foi feita e a distância focal é de 50mm. O ponto de foco estava a 89cm de distância da lente e o flash não foi utilizado.

Com uma pequena dedução lógica, podemos concluir que a lente utilizada foi uma 50mm f/1.4 D ou G. Como? Muito fácil.

A abertura utilizada foi f/1.4 e a distância focal 50mm. Não existe nenhuma lente zoom, ou seja, com distância focal variável, que abranje outra distância focal além de 50mm e consegue atingir a abertura f/1.4. Outro ponto a considerarmos é que o campo "Distância do objeto" está preenchido. Se a lente não fosse do tipo D ou G, ou seja, aquelas que conseguem determinar a distância do objeto, o campo estaria vazio. Simples dedução, não?

Existem programas específicos que interpretam ainda mais dados do que o visualizador de propriedades do Windows consegue, inclusive a marca, o modelo e as especificações da lente. Então por quê quebrar a cabeça tentando descobrir esta informação com base em outras informações disponíveis no visualizador de propriedades? Para treinar o raciocínio fotográfico!

Seria muito mais fácil simplesmente descobrir esta informação sem ter que pensar, mas isto não nos traria nenhum aprendizado ou vontade de pensar. Querendo ou não, para fazer boas fotografias, sempre temos que pensar em todos os detalhes rapidamente. Então, por que não exercitar a mente em coisas simples como esta? Às vezes, treinar coisas simples como esta fazem toda a diferença em um momento crucial que requer pensamento rápido e preciso.

Mesmo assim, confirmar se o seu raciocínio estava certo e descobrir mais informações pode ser bastante útil. Um dos melhores programas gratuitos para esta finalidade é o Opanda IExif. Com ele você pode descobrir várias informações adicionas, inclusive o número de cliques que a câmera já fez. Esta informação é extremamente útil.

Algumas pessoas tentam vender suas câmeras bem usadas como se fossem praticamente novas, principalmente em sites como o Mercado Livre. Para tentar enganar o comprador, o vendedor reinicia a série de números dos arquivos, através do menu da câmera. Depois ele tira algumas poucas fotos, fazendo o comprador acreditar que de fato foram tiradas apenas aquele número X de fotos, baseando-se no número do próximo arquivo gerado.

Se for comprar uma câmera usada, nunca se baseie nisso. Pergunte ao vendedor o total de cliques feitos com aquela câmera. Quando tiver a câmera em mãos, tire uma foto qualquer e abra o arquivo JPG com o Opanda IExif. No campo "Total Number of Shutter Releases for Camera" você vai encontrar o número real de cliques feitos com a câmera até então. Se este número não corresponder com o que o vendedor informou, reclame e exija o seu dinheiro de volta.

Já soube de muitos casos em que o comprador supostamente estaria adquirindo uma câmera "usada poucas vezes", quando na verdade já estava "nas últimas", com a vida útil do obturador quase no fim. Não seja mais um a cair neste velho truque de vendedores pilantras.

Voltando ao assunto, um ótimo lugar para ficar horas analisando os dados do Exif de diversas fotos é o Flickr. Alguns usuários optam por não exibí-los, mas a maioria os deixam disponíveis.


Quando os dados estão disponíveis, abaixo do nome do usuário que tirou a foto está escrito "Esta foto foi tirada em Data X usando uma Câmera Y". Clique no modelo da câmera para visualizar os dados. Neste exemplo, Nikon D7000.



Na próxima tela estarão os dados do Exif. Agora é só aproveitar pra coletar o máximo de informações possíveis, para poder usar como base nas suas próprias fotos.

Me desculpem pela demora na continuidade das aulas, não está fácil achar tempo para escrevê-las. Gostaria que os leitores do blog respondessem a atual enquete "Quando você visita o blog?", que se encontra na coluna da direita. Com base nos seus resultados, eu posso ter uma idéia melhor da frequência de visitação de vocês e saber se o intervalo entre cada aula está sendo muito grande.

Até a próxima aula!

Aula Anterior   Próxima Aula